Wednesday, September 12, 2012

Os Beatles foram uma criação maçônica

David Richards

Em seu livro, "O Comitê dos 300", John Coleman revela que os Beatles foram uma operação psicológica dirigida pelo Instituto Tavistock para Relações Humanas.

Os Beatles foram criados para avançar a formação de uma corrompida populaça escrava da Nova Ordem Mundial.  Durante a década de 60, essa agenda foi levada a frente com bandas de rock agindo como agitadores sociais.

Amor livre, drogas e rock eram promovidos.  Para substituir o Cristianismo, foi introduzido o movimento Nova Era: doutrinas espirituais que não requeriam que o indivíduo seguisse a Lei Moral.

Os Beatles foram apresentados como o anti-establishment, mas receberam a infindável atenção da mídia dominante.  Em 1965, eles receberam a maior ordem do Império Britânico da Rainha.

REFERÊNCIAS OCULTAS

As referências ocultas no trabalho dos Beatles provam que eles foram marionetes dos cabalistas.

Uma fotografia promocional para o álbum Yellow Submarine mostra John Lennon fazendo um sinal dos chifres do demônio.  Paul McCartney faz um sinal com a mão do olho de Horus (666).

A capa do álbum "With The Beatles" mostra metade de suas faces na sombra.  Isso é o "Olho único de Horus" que é epidêmico na indústria da música hoje.  A dualidade branca e preta é a doutrina maçônica para equilibrar o bem e o mal.

Uma compilação dos Beatles foi lançada em 1988, intitulada 'Past Masters' (Mestres do Passado).  Mestre do Passado é um termo maçônico usado para descrever o primeiro venerado Mestre de uma Loja Maçônica.  O álbum contém exatamente 33 músicas.

No filme, "The Magical Mystery Tour" (A turnê misteriosa mágica), os Beatles usam um bastão mágico para arremessar feitiços sobre membros insuspeitos do público.  Bastãos mágicos são feitos de árvores santas (por isso Holly-wood) e são o instrumento da magia oculta que tem sua audiência (a populaça) em um transe.  O filme exibe vários apertos de mão maçônicos.

As músicas também exibem letras ocultas.  A música "Lucy in the Sky with Diamonds" refere-se a Lúcifer no céu com "diamantes" (também conhecidos como "estrelas", a Estrela Cão Sirius, representando Lúcifer).

A faixa "Across the Universe" é a respeito de possessão demoníaca.  John Lennon canta 'gai guru deva' (todos saúdam os devas).  Na Teosofia, um deva é uma entidade espiritual, por exemplo, um demônio, que está nos bastidores manipulando e dirigindo o comportamento humano.  Luciferianos acreditam que eles estão possuídos por essas entidades quando eles estupram, torturam e matam vítimas inocentes.

Quatro jovens da classe trabalhadora não poderiam ter escrito essas músicas! Os Beatles foram originalmente uma banda cover de rock 'n’ roll tocando na Rua das luzes vermelhas em Hamburgo.  Nós somos presumidamente levados a acreditar que somente uns poucos anos depois, eles comporiam músicas com profundos significados ocultos!

O ROTEIRO

O comportamento dos Beatles foi traçado por manipuladores que conheciam a agenda por trás do grupo.

A agenda das drogas foi propulsionada na infame entrevista que Paul McCarteny deu a BBC em 1966, quando ele "admitiu" tomar LSD quatro vezes.

A entrevista foi planejada para causar controvérsia, e de fato causou, e encorajou os jovens a consumir LSD.  Se a BBC fosse realmente contra o consumo de drogas, eles não teriam transmitido a entrevista para milhões de pessoas.

Era perceptível que os Beatles converteriam os jovens contra o Cristianismo.

Em 1963, Paul disse que o "Cristianismo não combina com minha vida".  Em 1966, John foi mais sincero, contando à Newsweek que o "Cristiansimo irá desaparecer e encolher.  Eu não preciso falar a respeito disso.  Eu estou certo e serei provado correto."

Na década de 60, as grandes gravadoras tinham total controle sobre os artistas. 
Sua fotos foram também claramente desenhadas por manipuladores cabalistas.

Um exemplo chocante é a capa alternada para o álbum "Yesterday/Today", que descreve os Beatles cobertos com partes do corpo de bebês mortos. Isso foi uma doentia zombaria do aborto, o inevitável resultado da agenda de amor livre que os Beatles estavam promovendo.

A capa do álbum Sgt. Pepper retrata os Beatles como "heróis".  Eles incluem uma hoste inteira de bonecos cabalistas: Aldous Huxley, Karl Marx, Aleister Crowley, Mahatma Ghandi, HG Wells e George Bernard Shaw, entre outros.

CONCLUSÃO

Eu comprei todos os álbuns dos Beatles quando eu era adolescente.  Eu amava a música, mas sentia que algo estava errado.  As músicas eram melodicamente perfeitas, mas faltava ressonância emocional.  Agora eu sei por quê: o grupo era uma criação cabalista.

Depois de aprender essa informação a respeito da banda, eu escutei a música novamente.  Agora que eu pude ouvir a agenda malévola por trás das músicas, eles se arruinaram comigo.

Os Beatles tornaram o Ocidente mais degradado, dividido e fraco.

O jornalista David Noebel resumiu bem em 1982, quando ele julgou o impacto que John Lennon teve na música.

"O rock 'n' roll da presente cena é um retrato gigante, multimídia de degradação - um mundo de suja imoralidade, doença venérea, anarquia, niilismo, cocaína, heroína, maconha, morte, satanismo, perversão e orgias."

No estilo dos verdadeiros satanistas, os Beatles venderam sua doença como "Amor", uma lembrança que o mundo está controlado por um culto satânico, os cabalistas, que odeiam Deus, e te odeiam também.


2 comments:

Seja responsável em seus comentários. Caso se verifiquem comentários descontextualizados e criminosos, estes poderão ser apagados.

Ofensas ao catolicismo serão sumariamente apagadas.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...