Saturday, July 16, 2005

O Secreto IMPOSTO KOSHER que faz o preço das comidas subirem

A Special Report put out by: THE TRUTH AT LAST - P.O. Box 1211, Marietta, Georgia 30061

Os não-judeus não estão cientes que todo produto comestível marcado com os símbolos "K" e "U" tem sido TAXADO por rabinos!

Nota: cada nação tem seu próprio símbolo. Cheque nas publicações judaicas locais para localizar qual marca da besta está sendo usada em seu próprio país.

Em toda estante de despensa na América, repousam dúzias de produtos comestíveis enlatados e empacotados que têm um minúsculo "K" ou "U" impresso no rótulo.

Esse símbolo informa aos Judeus Ortodoxos quais os itens foram checados por um rabino para certificar que foram preparados em conformidade com as "normas dietéticas judaicas", conforme exposto no Talmud Judaico - (a verdadeira "bíblia" dos Judeus.).

Companhias norte-americanas de alimentos são forçadas a pagar bilhões e bilhões de dólares a diversas organizações Ortodoxas Judaicas, para que cerca de 10 a 20% da judiaria (ou entre 800 mil e 1,2 milhões de Judeus Ortodoxos em números absolutos), possam comprar seus produtos. Por favor, tenha em mente que esse é um país de 270 milhões de pessoas, e nós somos todos forçados a pagar esse Imposto Kosher, só para satisfazer MENOS DE UM POR CENTO DA POPULAÇÃO!.

Isso sai de seu bolso!

O que significa "Kosher"?
A palavra "Kosher" significa "adequado" para comer. Os Judeus Ortodoxos são proibidos de comer produtos de carne de qualquer animal ruminante que não tenham o casco dividido. A carne de porco não é kosher porque enquanto eles têm cascos divididos, eles mastigam sua ruminação. A carne de coelho não é kosher porque, enquanto eles mastigam sua ruminação, eles não têm os cascos divididos. Os judeus não são permitidos comer qualquer produto de laticínio junto com carne na mesma refeição, eles devem esperar seis horas antes de comer qualquer comida a base de leite.

Tudo sobre essa superstição não tem sentido, e não tem absolutamente nada a ver com a melhora na qualidade de qualquer produto alimentar. Hoje em dia, esse hábil esquema de requerer rótulo kosher tem se tornado ainda um negócio multi-milionário! A Enciclopédia Judaica de 1942 declara que a prática de comer comidas "kosher" aprovadas por rabinos data de tempos antigos quando os Judeus eram proibidos de comer ou manter relações sexuais com gentios. A Enciclopédia afirma que os rabinos ensinavam que os "gentios estão cheios de doenças e morte por conta de seus hábitos impuros, e que, Deus deseja proteger seu povo de ser contaminado pelos gentios. Os alimentos não-kosher dos gentios eram compreendidos por ter um efeito contaminador!"

Mentiras Usadas para Seduzir os Cristãos a Aceitar Produtos Kosher
Um de nossos assinantes escreveu à "Aunt Jane Foods Co." em Faison, N.C. perguntando quanto eles pagam anualmente pelo uso do símbolo "U". Sra. Donna Fonvielle, chefe do Customer Relations, respondeu que os Judeus contaram-lhe que, pela submissão da supervisão rabínica, eles estão informando ao público que "produtos kosher são produzidos sob condições sanitárias."

The Jewish Press de 25 de Fevereiro de 1988, cita Menachem Lubinsky, um importante marqueteiro de produtos kosher dizendo que "a indústria deveria contar aos curiosos cristãos sobre esse sinal, que Kosher tem se tornado algo como o ‘Selo de Aprovação de Casa Bem Arrumada’. Isso faz um produto parecer mais saudável e de melhor qualidade."

O Washington Post de 2 de Novembro de 1987 cita o Rabbi Schulem Rubin, um Rabbi Ortodoxo do Bronx declarando:

" Kosher não tem gosto melhor, não é mais saudável, não tem menos salmonella (bactéria). Você pode comer uma galinha Holly Farm que é vendida por 39 centavos e uma libra, e a seguir experimentar uma galinha Kosher vendida por $1.69 e uma libra, e não diga que há diferença! "

O Sun-Sentinel de 20 de Março de 1987, cita o Rabbi Irving Silverman, que organizou a recente gigante Exposição de Alimentos Kosher em Nova Iorque, declarando: "Existe uma má concepção! Eu gostaria de esclarecer. Há uma percepção de que as leis dietéticas Judaicas estão impregnadas por considerações de saúde. Isso não é tudo. É um comprometimento a uma estrita aderência a uma tradição, um acordo de uma geração para outra. Eu não sou kosher porque isso é mais saudável - Eu sou kosher porque meus pais eram kosher e meus avós eram kosher. É um comprometimento!"

O Rabbi Bernard Levy, chefe do ortodoxo "Comitê Pelo Auxílio na Observância da Torah", demonstra como ele estampa o símbolo Kosher que fez dele um multi-milionário (Livre de impostos).

Não haveria qualquer objeção se a pequena comunidade Judaica Ortodoxa fizesse seus próprios produtos kosher e pagasse por eles, conforme eles faziam antes do negócio kosher ser lançado em 1919 ao público em geral. O problema repousa no fato que o significado desses rótulos kosher é um forte segredo guardado a respeito do qual a maioria dos cristãos não tem conhecimento.

Os gigantescos fabricantes de produtos alimentícios processados da América mantêm uma cobertura apertada neste assunto, de forma que nenhuma explicação possa ser vazada ao público. Eles só executam anúncios anunciando produtos kosher em publicações Judaicas, e NUNCA na imprensa diária ou na TV. Esse assunto é tão sensível que poucos jornais diários ousam transmitir artigos sobre essa controvérsia. Crescente quantidade de não-Judeus que se tornam cientes do secreto imposto kosher opõe-se a serem forçados a pagar por ele.

Essa é uma violação clara da Constituição Norte-Americana.

Quem Recebe o Imposto Kosher nos Alimentos?

Em 1960 havia somente 225 companhias pagando o imposto por alimentos kosher. Esse número saltou para 475 em 1966 e 800 por volta de 1975. Os promotores Judeus da etiqueta kosher dizem que agora houve uma "explosão de alimentos kosher" com mais de 16,000 produtos pagando hoje organizações rabínicas por seu "selo de aprovação kosher", os produtos Kosher vendem no varejo hoje algo quanto $30 bilhões em um ano de acordo com o "The Chicago Jewish Sentinel" de 7 de Julho de 1988. Note: No ano de 2000, isso representa um trilhão de dólares de um esquema de extorsão, em que toda nação da Terra paga o IMPOSTO KOSHER.

As organizações Judaicas Ortodoxas adquiriram direitos autorais sobre certos símbolos que somente elas podem usar. O gigante no negócio é "A União de Congregações Judaicas Ortodoxas" que distribui o símbolo "U". Elas servem algo em torno de 1,200 companhias ou cerca de 80% do negócio. Elas empregam perto de 600 rabinos como "checadores" em meio expediente. Isso é duas vezes mais que dez anos atrás. A segunda maior é o "Comitê Pelo Auxílio da Observância da Torah" do Rabbi Bernard Levy, que usa o símbolo "K".

Os produtos canadenses Kosher são estampados com as letras "COR" que significam "Council of Orthodox Rabbis". Esse é um grupo de frente do poderoso Congresso Judaico Canadense, que atualmente recebe todo o dinheiro desse imposto. Os Judeus no Canadá são tão unidos que eles não permitem qualquer competição como é o caso dos EUA. Aqui, um número de rabinos Ortodoxos separou-se dos maiores grupos para ir fazer por si mesmos a profissão kosher. (Por que dividir dinheiro com os superiores?) Note: Esse não é apenas um problema nos EUA e Canadá. Todas as nações com uma população Judaica Ortodoxa estão sendo extorquidas da mesma forma. Quaisquer que sejam os agentes do Congresso Mundial Judaico, você tem esse tipo de chantagem. Veja o NAFTA. O México está inundado com este problema. Cerca de 100 Milhões de mexicanos, principalmente católicos, têm que pagar tributo para judeus desta maneira.

O Rabbi Jack Goldman esteve anteriormente com a Congregação Judaica Ortodoxa, mas desligou-se e hoje dirige o "Metropolitan Kashruth Council of Michigan". Ele tem alguns rabinos trabalhando para ele e eles circulam um símbolo "MK". Alguns acreditam que isso signifique "Michigan Kosher". É dito que ele teria permanecido na área de New York e New Jersey pois sua vida estava em perigo. Note: Os símbolos diferem de país a país. Para descobrir quais símbolos são usados em sua nação, verifique as propagandas nos jornais e revistas judaicas.

Minnesota tem o Rabbi Asher Zeilingold que imigrou para lá em 1953 da Inglaterra, e hoje circula seu próprio "K com um escudo" para algumas das fábricas ISO.

Esse imposto é estritamente religioso, que milhões de não-judeus sem saber pagam toda vez que eles compram uma cesta carregada de comestíveis! O que aconteceria se um grupo de ministros Cristãos ou padres se reunissem e exigissem que todas as companhias lhes pagassem um imposto similar? Eles poderiam usar um "C," símbolo (para o Cristão), ou uma cruz, (para Cristo), ameaçador que aqueles de modo que recusassem imprimir tal etiqueta em seus produtos fosse boicotada por cristãos.

Se acontecesse isso que você escutaria uma gritaria enfurecida da ACLU, do American Jewish Committee, da Liga Anti-Difamação Judaica etc. Eles estariam entrando com processos para parar com essa "violação das previsões constitucionais determinada pela separação da Igreja e Estado". Mas, por causa da velha reivindicação secular dos judeus de serem "um pobre povo perseguido" junto com cristãos temerosos de serem acusados de "anti-semitismo", há um silêncio atordoado sobre esse problema.

O Grande Escândalo Kosher Explodirá Algum Dia!

O New York Times, um diário de propriedade judaica, em um artigo raro nessa matéria datado de 18 de maio de 1975, relatou que os símbolos kosher são deliberadamente impressos "despercebidamente em rótulos" de forma que eles sejam despercebidos aos Cristãos. Em grandes publicações Judaicas, anúncios são publicados para instruir Judeus a comprar apenas itens marcados com kosher. Em outras palavras, os Judeus estão boicoitando todos os produtos que não pagam imposto kosher! O maior segredo de todos é a quantidade exata ANUAL que essas companhias pagam para os rabinos Ortodoxos. Esse mesmo artigo da "Times" declarou: "Nenhum grupo kosher revelará quais são seus rendimentos brutos e nem as corporações estão ansiosas para tornar público seus próprios salários". Com que freqüência ouvimos nossos congressistas pedirem que haja "verdade na propaganda" e que o "consumido deva ser protegido?"

Editor Judeu Chama Rótulo Kosher de "Fraude" !

The Jewish Newsletter é publicado por William Zukerman. Em 1970, ele veio à tona com um artigo super-sensacional acusando os rabinos Ordotoxos de terem transformado o negócio do rótulo kosher em uma chantagem multi-milionária. Ele disse que o que absolutamente nada contém de carne ou um produto à base de carne precisa de um rótulo kosher. Ele cita o Sr. Weiss-Rosmarin, "a importante autoridade rabínica", para testificar que nenhuma bebida leve, Coca-Cola, nem qualquer outra bebida precise de aprovação kosher. Novamente, SOMENTE CARNE e itens contendo subprodutos de CARNE precisam de aprovação Kosher.

Zuckerman acusa haver "rabinos inescrupulosos ou falsos" que estão por trás dessa "fraude" e quando eventualmente expostos, "desabrochará em um escândalo que irá chacoalhar a Judiaria organizada até suas bases:"

O mensageiro da (maçônica) B'nai B'rith em sua edição de 2 de abril de 1965 informou que "um rabbi conhecido nacionalmente, prometeu expor a fraude kosher conforme chamado a atenção para ficar quieto!" Zuckerman declarou que os Judeus que ousassem aumentar a voz contra a chantagem de alimentos Kosher encarariam uma ameaça física. Um povo poderoso não quer qualquer de seu meio expondo essa fraude multi-milionária.

Os produtos alimentícios americanos já são checados por agências governamentais federais e locais por pureza e comestibilidade. O certificado kosher Judaico de nenhuma maneira torna o que seja mais higiênico ou saudável. As organizações Judaicas Ortodoxas enviam os rabinos para todas as companhias alimentícias nos EUA. Eles lhes contam que os Judeus recusarão comprar seus produtos se eles não estiverem marcados com o símbolo kosher "U" ou "K". A verdade é que somente Judeus Ortodoxos, (menos de 1.2 milhão), seguem leis dietéticas kosher. Os rabinos que, de um modo geral, aconselhassem recusar pagar por essas "inspeções kosher" indicariam que eles são "não amigáveis ou insensíveis" à Judiaria. Eles seriam rotulados de anti-semitas e tudo o mais. ISSO NÃO É NADA MENOS QUE Uma AMEAÇA OCULTA DE PURA CHANTAGEM PURA ALÉM DE ILEGAL! Se alguém com o sobrenome italiano fizesse isso, esse alguém seria preso na hora...

Breve História de Rótulo Kosher

A aprovação especial kosher por rabinos, através dos séculos, tem sido aplicada somente por requisição de animais abatidos para o ritual Judaico. Isso inclui a matança de gado não sufocado por um aprovado ritual judaico. Requer que sua garganta seja cortada de orelha a orelha. Eles lentamente sangram até a morte de uma maneira horrível porque o coração dos animais deve e bombear todo seu sangue antes da morte. Os judeus não são permitidos comer qualquer carne com sangue.

A idéia de aplicar regulamentos kosher para produtos não a base de carne se originou do falecido Joseph Jacobs. Tudo isso começou primeiramente em 1919 em Nova Iorque, quando Jacobs vendeu uma idéia a umas poucas companhias alimentícias controladas por Judeus, para que elas imprimissem um "K" de kosher em seus produtos alimentícios, e que ele faria propaganda para elas nas publicações Judaicas e também na estação de rádio Iídiche, WEVD. Nenhum dos produtos eram inspecionados por rabinos. Isso começou como uma propaganda puramente aventureira. Assim, a "Joseph Jacobs Organization,Inc." foi fundada e hoje é dirigida por seus parentes. Esse negócio prosperou mas Jacobs não era um rabbi e viu a vantagem de vincular seu esquema de aprovação kosher à religião judaica. Então, em 1925 ele formou um novo grupo com alguns rabinos e chamou-o de "O Comitê Para o Auxílio na Observância da Torah". Uns poucos anos mais tarde, outros rabinos ortodoxos reconheceram seu potencial de fazer dinheiro e com a liderança da enorme "União das Congregações Ortodoxas", começaram a circular seu próprio símbolo "U". Hoje, esses dois grupos controlam mais de 90% do negócio kosher. Isso é um monopólio nítido e viola leis anti-trustes.

Companhias respondem aos Questionamentos de Nossos Leitores
Nossos leitores nos enviaram muitas cartas que receberam de algumas das maiores companhias da nação que silenciosamente se submeteram a essa chantagem kosher. Em outras palavras, eles preferiram fazer um "saldo" quando ameaçadas com um boicote Judaico a se levantar pelos seus próprios direitos, bem como proteger consumidores Cristãos contra essa gigantesca fraude! Por que nós deveríamos ser forçados a pagar sempre contas mais altas por comida, em parte causada por esse desnecessário imposto secreto kosher?

A prova de que é realmente secreto pode ser encontrada nas respostas impressas abaixo em que nenhuma companhia sequer respondeu à simples questão: "Quanto você paga anualmente pela "certificação kosher "?

Essa informação deveria ser pública pela simples razão que nós, consumidores não-Judeus, pagamos uma porção muito maior de seu imposto do que os Judeus!

A colunista do New York Times, Dorothy Kilgallen, pouco antes de sua morte escreveu que o Correio dos Estados Unidos mudou a constituição da cola do selo postal por reclamação dos rabinos Ortodoxos. Foi alterada de uma cola à base de gordura de porco para um derivativo vegetal que tinha aprovação Kosher! Os rabinos objetaram que "nenhum Judeu deverá ser forçado a lamber porco!" Note: selos postais Kosher? Nessa mesma linha nós achamos organizações Judaicas forçando o sistema da prisão federal, e as FFAA norte-americanas a comprar alimentos kosher para Judeus, que estejam tanto na prisão quanto no exército. Nenhum político ergueu sua voz para protestar contra essa interferência dos Judeus nos programas de governo dos EUA! Isso ocasiona custos desnecessários extras que o contribuinte acaba por pagar. Note: Os Judeus quase nunca servem no Exército dos EUA!

UMA CARTA TÍPICA DE COMPANHIAS TENTANDO EXPLICAR O IMPOSTO SECRETO DE ALIMENTOS KOSHER: GENERAL FOODS CORPORATION / 250 North Street, White Plains, N.Y. DEPARTAMENTO DE RELAÇÕES PÚBLICAS

Querido Sr. __________

Essa é uma resposta a sua recente carta perguntando sobre a letra "K" nos rótulos de nosso café Maxwell House.

Como eu acredito que você saiba, o "K" (para Kosher), continua nos rótulos de alguns de nossos produtos, incluindo nossos cafés, como um serviço para consumidores que são de fé Judaica. A letra certifica que nada ocorre no processamento dos produtos que violassem as leis dietéticas Judaicas. A certificação é feita por alguém ou os *rabinos mais altamente conceituados" que atualmente visitam nossas linhas de produção para observar nosso processo industrial. Por esse serviço, *eles recebem honorários* que é uma fração tão insignificante do custo total do processamento e marketing de nosso produtos que não faz efeito no preço de venda. O uso do "K" é uma prática comum na indústria de alimentos empacotados de hoje, e nós encaramos isso como simplesmente prover informação que auxilia informação a um número substancial de consumidores. Quanto a letra "U" que você mencionou, nós escutamos a seu respeito, mas não estamos familiarizados com seu fundamento visto que nós não a utilizamos.

Sinceramente seu;

Robert O. Carboni

Quanto Eles Pagam?

A seguir estão excertos de respostas dos questionamentos de nossos próprios leitores sobre o imposto kosher.

O representante da General Foods, Robert O. Carboni, escreveu que os "rabinos mais altamente conceituados visitam a linha....eles recebem honorários..." Katherine C. Egan, da General Foods Kitchens; "Não é política dessa companhia revelar o custo." A General Foods é a maior processora de alimentos nos EUA, e exporta alimentos para todo planeta.

A Sra. Diretora Agnes Stile's, da Mueller's Spaghetti, escreve que; "Nós pagamos um salário nominal por inspeção periódica". Espaguete Kosher? O que os Judeus no mundo sabem sobre espaguete? Eles põem Ketchup nele e o comem frio.

Joseph P. Viviano, da 'Delmonico Foods, declra que "o "U" significa que nós passamos no teste de investigação rabínica"

R. Kittredge, Gerente de Serviços Técnicos da Hunt-Wesson Foods, Inc.W.: "Nós permitimos visitas de inspeções... há um custo sem importância associado a isso". Hunts faz o Ketchup, que é usado para se colocar nos Hamburguers, feitos pelo McDonalds e Burger King. Esses dois gigantes venderam mais de um trilhão de hamburgueres tipo sanduíches, todos eles com um Imposto Kosher nele. Heinz Ketchup, que também é Kosher, é usado apenas para pacotes, distribuídos para batatas fritas. Mesmo o Barbecue nos EUA, fez dinheiro aos Judeus Talmudistas.

W. S. Carter, Relações Públicas da Procter and Gamble Co., "isso é um meio de ajudar observadores consumidores Judeus . . . sem acrescentar nisso custos significantes". Elas estão também em uma das maiores produtores de fraldas do mundo. Embora as fraldas em si não estejam rotuladas como Kosher (Ainda), o dinheiro que corre da renda bruta da Proctor and Gamble, vai para os Talmudistas anticristãos. Cada vez que a mamãe muda a fralda de seu bebê, ela paga o Imposto.

Ray W. McDonald, Gerente de Propaganda e promoção da Morton Salt Co., "Nós devemos ter um rabino designado para inspecionar nossa linha e certificar que se adequam aos requerimentos para que recebamos o símbolo". Morton Salt é a segunda maior produtora de sal no mundo. A Diamond Crystal é a maior produtora mundial. E, embora elas façam tanto sal Kosher para a comunidade Judaica, e o sal marinho também é rotulado Kosher. Todo alimento, processado nos EUA e no Canadá, que contém sal, usurpa dinheiro de não-Judeus. Toda vez que um chef salga uma comida, você paga o flautista Kosher.

Helen J. Britt, Diretora de Economia Doméstica da Nestle Co., "Não há nenhum custo extra exigido para um produto assim identificado." Até o doce é Kosher. Pense em todos aquelas crianças goyim pagando imposto aos usurpadores barões Iídiche.

Therese Bergstrom, do Departamento de Serviços ao Cosumidor da Lever Brothers Co., "O custo desse certificado é mínimo e irrisório."

Sra. D. Kitching, chefe dos Serviços ao Consumidor da Club House Foods, do Canadá,: "Produtos com carne requerem um muito mais envolvido processo de certificação requerendo diretamente a supervisão por um rabino que geralmente em um preço prêmio para esse serviço." Note: Canadenses estão sendo extorquidos em milhões de dólares por ano, por chantagistas de organizações Judaicas, como o Congresso Judaico Canadense, e que agências correrão atrás da aplicação da lei no Canadá? Os rabinos não têm nada a temer pelos políticos comprados do Canadá!

Mas Quanto Nós Pagamos?

Além do que você leu sobre as respostas evasivas que as maiores companhias de alimento nos EUA têm dado aos nossos leitores em resposta a uma muito simples questão, tudo que nós queremos saber é: Quanto você paga anualmente pela certificação kosher?" Os consumidores não-judeus têm o direito de saber visto que realmente somos nós, principalmente, que pagamos o imposto kosher!

Efeito da teia de aranha Do Imposto Kosher!

Imposto misturado !!!

Reynolds Aluminum Foil é "kosher" com a estampa "U", assim como Glad Sandwich Bags, Ivory Liquid Detergent, e também Glass Plus para limpar janela e Comet Cleanser. Por que deveriam quaisquer dessas companhias serem forçadas a pagar o "Imposto de Alimentação Kosher "? Você não pode [mesmo] comer esses produtos! Cheque os rótulos da próxima vez que você for fazer compras. Você ficará chocado sobre quantos itens não-alimentícios são Kosher. Há até mesmo limpadores de vaso sanitário Kosher. Lembre que VOCÊ TEM PAGAR ESSE IMPOSTO !!!

Note o artigo pela Jewish Union por Reynolds Wrap [não exibido aqui]. Ele declara que uma empresa de alimentação tinha um produto com 21 ingredientes de 12 outras companhias. Cada uma delas era também requisitada a pagar o imposto kosher antes que companhia original pudesse receber o certificado kosher! Também, uma companhia gigante com grande quantidade de produtos não pode pagar uma taxa para todos seus produtos alimentícios. Ela deve pagar um imposto separado kosher para cada produto e cada um deve ser inspecionado pelo rabino em diferentes visitas. Isso pode concorrer para o total do imposto subir a milhões de dólares! Isso também é um IMPOSTO PROGRESSIVO que sobe cada ano. Note: Um grande exemplo desse tipo de roubo é com o McDonalds. Eles usam a Coca Cola Kosher (Pepsi também é Kosher), o papel para queijo Kosher, e um secreto Mac molho (tempero de salada Thousand Island), Ketchup Kosher, bolo de passas Kosher, e óleo Kosher para frituras. Milhões de pessoas de todo mundo estão pagando impostos Kosher, de Nova Iorque a Moscou, a Tóquio, mesmo que a compra de todas as coisas, um cheeseburger, seja na Índia hindu, que usa cordeiro para seus hambúrgueres, têm que pagar esse imposto Kosher. Burger King, Kentucky Fried Chicken, Pizza Hut, e muitas outras cadeias de restaurantes, agem como mini agências coletoras de impostos, e roubam trilhões do mundo inteiro para os interesses Judaicos.

SÍMBOLO KOSHER DE ALIMENTAÇÃO VIOLA A "VERDADE NAS LEIS DE PROPAGANDA." Um anúncio da Dobie Pad apareceu no "Women's Day Magazine" - com o símbolo "U" foi deliberadamente coberto de tinta. Esse anúncio da Dobie Pad apareceu nas publicações judaicas de todas as nações. - Note: Há uma seta para chamar atenção ao "U".

A maioria das agências de propaganda cobre de tinta os símbolos Kosher nos anúncios. Isso viola a "Lei Federal (americana) da Verdade na Propaganda!". Nenhum diário ou programa de TV explicou alguma vez ao povo americano quanto esses custos Kosher impactam sobre os bilhões de dólares consumidos todo ano. Nas publicações Judaicas eles têm setas indicando o símbolo de maneira que os Judeus estarão em vigilância sob seus produtos. Note: Onde estava o Departamento de Justiça dos EUA nesse assunto? Se eles podem queimar crianças vivas em WACO, e atirar em garotos de catorze anos pelas costas, certamente eles podem perseguir a "Máfia Kosher ".

TODO MUNDO NO PLANETA PAGA ESSE IMPOSTO DA "MÁFIA KOSHER"!

A maioria das nações importa alimentos dos EUA e Canadá. Trigo, arroz, milho, Galinha, carne de boi, Soja, etc. Em muitos casos, o alimento é "Kosher" antes dele deixar o porto. A China é a importadora número um de galinhas dos EUA. Holy Farms, o maior exportador, envia as galinhas. Bilhões de chineses pagam o imposto Kosher. As nações islâmicas do Norte da África e do Oriente Médio, importam trigo, arroz e cordeiro, muitos dos quais rotulado como Kosher. Muçulmanos do mundo todo sentam-se para suas refeições noturnas, com arroz e pão, consagrados por um rabino ladrão, com a aprovação do Congresso Mundial Judaico (Eles obtém uma fatia do dinheiro). Depois, eles usam esse dinheiro para interceder para que as nações ocidentais permitam (financiar os) ataques ao Islam do pseudo-"Israel". Mesmo fundamentalistas argelinos sentam-se e comem seus cuscus consagrados por um rabino; o trigo, que faz a maioria dos cuscus, é em sua maior parte americano e canadense. Italianos, também, com sua massa, fazem o mesmo. Eles pagam aos seguidores do anticristo Talmud.

Toda Vez que você Come, Você Paga !!!

10 comments:

  1. Muy buena explicación de lo que es kosher. Mucha gente hoy en día no sabe lo que es y por ahí piensa que es algo que no tiene sentido cuando en realidad es respetado por mucha gente en todo el mundo y tiene toda una historia detrás que es bueno conocerla. Hay gente que también alquila directamente Departamentos kosher que viene con las comodidades para la gente que respeta esta tradición.
    Muy buen blog,
    saludos
    Lore

    ReplyDelete
  2. Renata7:18 PM

    Tá aí! Mais uma clara evidência da conspiração megalomaníaca judaica! ...
    De fato! Considerando que a maior concentração de judeus no mundo está nos EUA, já é esperado tamanha arrecadação dos produtos Kosher.
    Kosher não é marca, não é branding, não é ameaça. A Kashrut não é só uma dieta "higiênica", mas uma dieta espiritual. Ela é saudável em todos os sentidos, e a cada dia novas descobertas comprovam este fato. Além disso, é uma mitsvá cumprir a Kashrut – está na Torah!
    Já é sabido que os ortodoxos são loucos para atrair os judeus distantes da religião; eles fazem qualquer negócio: ficam nas portas de instituições judaicas para os homem usarem os tefilin, distribuem velas de shabat para as mulheres, ligam para jovens convidando-os a fazer aulas de judaísmo (e até pagam para isso), oferecem viagens a Israel... Portanto, não seria de se surpreender que se movimentassem também para disponibilizar alimentos kasher nas prateleiras dos supermercados, para que os judeus não religiosos os levassem em detrimento de tantos outros produtos atraentes e não kasher. É uma forma de facilitar a kasherização de judeus que não seguem a dieta às vezes pela falta de oferta dos alimentos, pela dificuldade de encontrá-los. Não é lavagem cerebral ou indução a um mau hábito alimentar querer que judeus se kasherizem. Também não seria de se surpreender que fizessem anúncios nas publicações judaicas para comprar produtos kasher – o que não siginifica que seja um boicote aos produtos que não pagam imposto kasher. Pois se eu usasse dessa lógica, eu poderia dizer que o autor é um anti-semita por demonstrar desprezo por práticas religiosas – seria uma violação aos Direitos Humanos, não? “Artigo VII - Todos são iguais perante a lei e têm direito, sem qualquer distinção, a igual proteção da lei. Todos têm direito a igual proteção contra qualquer discriminação que viole a presente Declaração e contra qualquer incitamento a tal discriminação. (...)Artigo XVIII - Toda pessoa tem direito à liberdade de pensamento, consciência e religião; este direito inclui a liberdade de mudar de religião ou crença e a liberdade de manifestar essa religião ou crença, pelo ensino, pela prática, pelo culto e pela observância, isolada ou coletivamente, em público ou em particular.” .
    Imposto Kasher. Toda vez que se come, paga-se. E a porção de impostos, taxas e contribuições destinadas a investimentos que não são devidamente executados? Nunca se perguntou quanto se paga de impostos que não são revertidos ao seu bem estar? Onde vai parar essa contribuição que se trabalha meses para pagá-la por inteiro a cada ano?
    Essa revolta toda, no fim, se dá pois o autor nunca colocou Ketchup no espaguete e o comeu frio!

    ReplyDelete
  3. Anonymous4:53 PM

    Taí mais uma clara evidencia de racismo!
    Simples, basta voces não comerem a comida kosher e não precisarão pagar por ela! Não existe IMPOSTO Kosher, para isto precisaria uma LEI FEDERAL, ESTADUAL ou MUNICIPAL. O Sr. sabe cita-la? Os alimentos kosher são mais caros sim, mas ninguém é obrigado a pagar pela qualidade que ele oferece, come quem quer.(rita maia, não judia, brasil)

    ReplyDelete
  4. Estou de acordo com a Renata.

    E mais,

    Seu artigo esta bem elaborado, mas precisa de algumas correções:

    O animal deve ser sim ruminante (ex: Vaca).

    O porco não é um animal ruminante.

    A supervisão rabínica obviamente é lucrativa para os fabricantes, caso contrario não haveria sentido algum em se importarem com o citado ”boicote religioso”, tanto o casher quanto o chalal.

    Entre em qualquer site judaico ortodoxo, conseguintemente você percebera que a cashrut é muito mais do que uma mera tradição para os céticos e sim uma pratica religiosa com sentido profundo.
    A cashrut é baseada em uma tradição milenar de estatutos divinos, outros religiosos como islâmicos e evangélicos também respeitam os princípios do abate com uma faca lisa (shechita), esta pratica é estudada por mais de 3300 anos e até hoje se descobre mais efeitos colaterais relacionados à mesma.

    Todos peritos no assunto sabem que existem vários tipos de cashrut e níveis de credibilidade rabínica. Judeus ortodoxos não compram qualquer produto que esta rotulado de “kosher”, “casher” ou “K” e sim os que um rabino no qual eles confiam aprova.

    Sim, para os mais religiosos supervisão constante é necessária para garantir que nenhum ingrediente adicional seja inserido sem a aprovação do rabino no qual eles confiaram (já houve inúmeros casos de corrupção tanto por parte dos fabricantes quanto por parte “rabínica”, um bom motivo para ter um supervisor credenciado. Não é qualquer pessoa que sai dizendo que é rabino e conhece as leis que pode fazer a supervisão para um publico ortodoxo).

    Obviamente existem produtos denominados de casher sem supervisão rabínica, pois existem vários tipos e níveis de público casher. Os menos observantes compram produtos com supervisão não tão rigorosa quanto os mais ortodoxos.

    Por falar em italianos e anti-semitas... por que não falamos sobre o “chalal”? Preconceito religioso ou mera coincidência?

    E por ultimo,
    Eu não sabia que uma taxa de pagamento por um serviço terceirizado era denominada de imposto. Se vocês estão realmente preocupados com o dinheiro atribuído aos produtos, devem questionar para onde vai a grande parte dos impostos governamentais.

    ReplyDelete
  5. Anonymous9:48 AM

    ah que susto,pelo que diz o texto achei que eu fosse obrigada a pagar essa merda,mas não sou então tá tudo bem.

    ReplyDelete
    Replies
    1. Shalom e vamos comer kasher kkkkkkk

      Delete
  6. Elie: "Se vocês estão realmente preocupados com o dinheiro atribuído aos produtos, devem questionar para onde vai a grande parte dos impostos governamentais." Eles vão pagar os banqueiros judeus, que emprestam somas fabulosas de dinheiro aos governos para promoverem despesas demagógicas e "políticas públicas", sem as quais os "narigudos" subornariam algum judas para promover a desestabilização social, política e econômica desses Estados. Raça de víboras!

    ReplyDelete
    Replies
    1. kkkk é isso ai valeu Shalom.

      Delete
  7. Que máfia!!! Que bandidos!!! Quanta usura!!!

    ReplyDelete
  8. Curioso é que os judeus são tao xenofóbicos racistas e querem ser diferentes em tudo com relaçao aos gentios, a ainda são os únicos no planeta que podem prender, assassinar, perseguir e acusar de racista anti-semita qualquer um que critique a sua doença psíquica: narcisismo. Um dos grandes trunfos do controle que a religião judaica exerce em seus seguidores é a massagem no ego que os deixa megalomaníacos e tão terrivelmente narcisistas que se tornam violentos e desagradáveis num estalar de dedos.Estive estudando sobre esses arquétipos tão bem utilizados no judaísmo que ativam imediatmaet o complexo R(amente reptiliana). Que controle e terrível prisão mental é essa religião.
    Obs.:sou atéia

    ReplyDelete

Seja responsável em seus comentários. Caso se verifiquem comentários descontextualizados e criminosos, estes poderão ser apagados.

Ofensas ao catolicismo serão sumariamente apagadas.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...